China — Han Dynasty por Liu Yun

Os passos do Mestre
Soam leves
Como sinos suaves
Em dias de festa

Voando entre as planícies
No meio das folhas verdes
Farfalham docemente
Os corações do Mestre
Soprando o próprio céu

Em suas mãos humanas
Sem qualquer pressa
Apenas uma tigela
Testemunha a paisagem
Que brilha e fenece

Feita de areia
A pequena tigela
Dissolve no ar
Os sonhos do Mestre

Dormir e acordar
Sonhar e despertar
Caminhar e flutuar
Conhecer e esperar

Assim vive o Mestre
Para além do retorno
Das Eras

--

--

Chinese Imperial por Kate Pfeilshiefter

Dragão deslizando pelas nuvens
Púrpuras
Lançando a poesia do esquecimento
Em todas as verdades
Nuas
Mergulhadas no labirinto da consciência
Ululante
Ondulações de pensamento
Pulsante

Nas cicatrizes escancaradas
O frio do tempo passa
Entre escamas prateadas
E se torna calor
Vontade em chamas

Nos telhados
Dos salgueiros
Folhas curvas
Honram a passagem
Dos antigos obreiros

Dez mil tesouros
Escondidos
No espírito
Daquele que foi
Banido

--

--

Misty Moonlight

O último dia
Será o nosso recomeçar
E todas as folhas
Voltarão a cair
Deixando as árvores desoladas

Mas quando ninguém conseguir reparar
O salgueiro irá se balançar
E nós estaremos vivendo
Nas lágrimas dos deuses
Um pelo outro
Inseparáveis na separação
Como o sol e a lua

--

--

Resting by Victor Gabriel Gilbert (1890)

Drowsy memory
Lost between the sky
Sounds of light
Takes and brings
Something secret
Something real
Truths and lies
Hidden in the deep of my eyes

Wise whispers in the sands
Building castles with ordinary hands
The scent of flowers
Gives the map
A name created by the butterflies

--

--

Xufeng (旭凤) por Fan-Tasia

A cada novo passo
Submerso nesse labirinto
Meus pés tocam o chão
Movediço

A cada novo passo
A areia dissolve meus sapatos
Sem susto ou dor eu percebo
Estou com os pés descalços

E o mundo
Todo esse vasto mundo
Vira uma nuvem de água
Um sentimento genuíno
Chega e me ultrapassa

A cada novo passo
Esse batimento ultrapassa
Sem disfarce
Meus pés
Descalços

--

--

The Nymph of the Luo River por Gu Kaizhi (顧愷之 — 345–406). Detalhe.

Guardo o meu coração em um baú precioso
Porque ele é o meu segredo

Nas noites escuras e frias, meu coração acende uma fogueira dentro de mim e me aquece
Ele me consola, acolhe, apoia

Meu coração me lembra que eu existo

--

--

What once was por Daniel Conway

Cometa em chamas
Lustre do firmamento
A quem engana?

Se não veio pra ficar
Arranca tua finita existência
Do meu solo fértil
Casa de minhocas ciganas

Emoção peregrina
E absolutamente insana
Proclama a seiva
E ceifa a chama

--

--

Corruptions hound por Hanna Hetmanchuk

“O que são essas vozes?”
Não te assustes,
É apenas a TV ligada
Melodiosa como um enxame de vespas
Prestes a perder as asas

Manhã de sábado
Absorvida por algo
Surgindo em conta-gotas

Escaldado
Nas faraônicas e equilibradas
Rotinas fechadas

--

--

Love and Pain (Vampire) by Edvard Munch (1895)

I have been sleeping a few hours a day
My eyelids are very busy
They can’t understand that night is not a day
The closed curtains are an invitation
And they wake up my eyes and invite them to stay up all night

I have been sleeping a few hours a day
Yes, it’s true
But it doesn’t stop me from dreaming
And in my vivid dreams
I smell the books
The hot kiss from the sun

I feel ~ and how I feel ~
The comforting peace of a memory
That seemed lost
But my dream brought it back

I lost the person
But I will never lose my memory

--

--

Mara Vanessa Torres

Mara Vanessa Torres

98 Followers

A mind that believes in puzzles. ~ Instagram: @maravanessatorres